domingo, 9 de setembro de 2012

Cinema no La Bohème: programação de Setembro // Clube de Cinema despede-se do La Bohème


O Clube de Cinema de Setúbal regressa em Setembro para se despedir do bar-galeria La Bohème, onde se tem apresentado desde 2010. De forma mais informal, entre um café e uma bebida, o Clube de Cinema apresentou em quase dois anos mais de 60 filmes, apresentou alguns filmes em estreia nacional e recebeu a visita de vários convidados ilustres durante esta sua estadia no La Bohéme.
Assim, Setembro servirá para homenagear e agradecer pela hospitalidade durante este período. A programação andará à volta de uma certa ideia de boémia, aproveitando ainda para prestar um último tributo à memória do realizador Tony Scott, que desapareceu este mês. Os filmes ocorrem todas as quartas-feira, pelas 22horas, com entrada gratuita.


Programação:

Dia 5 - Fome de Viver (The Hunger), de Tony Scott - 1984 (97m.)


Tony Scott, que se suicidou recentemente, ficará para sempre conhecido como o irmão mais novo de Ridley Scott e associado a um cinema cheio de filtros e truques, commuito estilo mas pouco conteúdo. No entanto, poucos se lembram da sua estreia cinematográfica, em 1984, num filme de culto que juntou David Bowie, Catherine Deneuve e Susan Sarandon. "Fome de Viver" é um filme quase atmosférico, com vampiros metade góticos metade barrocos, os Bauhaus a cantar e uma história que serve de metáfora à vida eterna, numa espécie de negativo de "O Retrato de Dorian Gray".

Dia 12 - Os Sonhadores (The Dreamers), de Bernardo Bertolucci - 2003 (115m.)



O italiano Bernardo Bertolucci fez a sua homenagem tardia à nouvelle vague (e a Jean Luc Godard, especialmente) com "Os Sonhadores", filme onde um triângulo de jovens boémios, com o Maio de 68 como pano de fundo, se refugia numa demanda exploratória pelos seus próprios corpos e espíritos. Louis Garrel, Eva Green e Michael Pitt são os protagonistas do último grande filme de Bertolucci em muito tempo.

Dia 19 - La Vie de Bohéme, de Aki Kaurismaki - 1992 (100m.)



Três artistas pelintras perdidos nas ruas de Paris servem para o finlandês Ali Kaurismäki nos dar um retrato da vida boémia, caracterizada pela despreocupação aos bens materiais, a grandes projectos e às normas vigentes. "La Vie de Bohéme" foi o primeiro filme do realizador feito em França, onde regressou o ano passado para "Le Havre".

Sem comentários: